Razão Social – Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e Televisão de Mato Grosso do Sul
Data de fundação – 10/10/1994
Frequência – 104,7 MHz
Prefixo – ***
Potência – 10 kW
Diretor – ***
Endereço – Rua Desembargador Leão Neto do Carmo, s/nº – Parque dos Poderes – Campo Grande/MS
Telefone – (67) 3318-3850
Internet – http://www.104fm.ms.gov.br

Mato Grosso do Sul estava entrando nos seus sete anos como Estado recém-emancipado quando, em 1984, recebeu a concessão de sua primeira televisão educativa. Foi concedida no governo de Wilson Martins (1983-1986), através da Fundação de Rádio e Televisão Educativa de Mato Grosso do Sul. Instalada em 1985, a TV Educativa apenas retransmitia a programação da TV Cultura, de São Paulo. Foi também pela fundação que, em 10 de outubro de 1994, o governo de Pedro Pedrossian (1991-1995) colocou no ar a FM Educativa, na frequência 104,7 MHz. Estava formada a rede oficial de radiodifusão do governo do Estado.

Como ocorre com todo meio de comunicação nas mãos do poder público, as emissoras tiveram que dançar ao sabor de cada governo, ocorrendo até mesmo períodos em que a televisão ficou fora do ar e a rádio apenas veiculava músicas. O jornalista Lizoel da Costa Leite foi o primeiro gerente da emissora, já no início do segundo mandato de Wilson Martins. A proposta inicial não era concorrer com as FMs comerciais e nem desenvolver uma programação popular. Assim, foram criados programas de blues, jazz, MPB e de música clássica, o Opus 104, o primeiro no gênero em Mato Grosso do Sul.

Em 2001, a Fundação de Rádio e Televisão Educativa de Mato Grosso do Sul passou a denominar-se Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e Televisão de Mato Grosso do Sul, controladora das emissoras de rádio e televisão do governo do Estado.

No início do segundo mandato do governador José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT (2003-2007), a rádio deixou a linha “elitizada” e adotou uma política de “inclusão” dos vários públicos. Agora 24 horas no ar, uma série de novos programas variava do clássico ao sertanejo e o jornalismo abriu arena para muitas polêmicas com ataques e revides no campo político. A emissora adquiriu um perfil mais regionalista e incorporou a denominação de FM Educativa Regional. Sua potência foi ampliada de um para dez kilowatts, alcançando um raio de trezentos quilômetros.

No governo André Puccinelli (a partir de 2007), o quadro de profissionais da 104,7 FM foi renovado e, sob a coordenação de Celito Espíndola, a emissora focou seu público nos formadores de opinião – classes A, B e C1 com idade entre 39 e 49 anos – e passou a veicular somente música brasileira. O programa jornalístico Primeira Notícia (com Carmem Cestari e Joel Silva) reúne a maior equipe de profissionais (sete) da rádio sul-mato-grossense e é um dos destaques da emissora que agora chega aos 17% de audiência na classe B.

A atual 104,7 FM Rádio MS divide com a TV Educativa as instalações do Palácio das Comunicações e a antena que é considerada como a mais alta do mundo feita em alvenaria, com cem metros de altura.